← Voltar

Oliveira: uma árvore repleta de tradição e significado!

Publicado em: 

O Valle D’incanto Midscale Hotel sempre esteve imerso no mundo da cultura e da sustentabilidade. Além de oferecer hospedagens inesquecíveis em um dos destinos mais belos do Brasil, o hotel valoriza o ambiente em que está inserido e compartilha a herança cultural de Gramado com cada visitante, reforçando o compromisso com uma hotelaria de qualidade. Os detalhes carregam a história e o cuidado de quem preza por bem-receber; e, entre eles, um novo componente do Jardim I’ncantado merece destaque – as perenes e encantadoras oliveiras.

A oliveira é uma das árvores que há mais tempo é cultivada pelo homem. De tronco retorcido, pode viver centenas (ou até milhares) de anos e tem como fruto a azeitona. Fora a gastronomia, a azeitona possui múltiplos usos com fins medicinais, religiosos, estéticos e, inclusive, para iluminação. A árvore também é marcada por fortes conotações simbólicas. A habilidade de se regenerar quando cortada ou queimada, brotando a partir das raízes, transforma a oliveira na melhor representação da perseverança. Eternizou-se na imagem da pomba da paz, que transporta um ramo no bico, bem como nas coroas dos vencedores olímpicos da antiguidade, feitas com rebentos de oliveira. O óleo para a unção também é extraído dela, simbolizando cura e proteção divina.

Sob o céu da Toscana, as oliveiras preservam a história e enfeitam os quintais. A região italiana, que inspirou o Valle D’incanto pela beleza e hospitalidade, tem como tradição a presença de um olival entre vinhedos e ciprestes – não apenas para a colheita de azeitonas e produção de azeite, como para preencher os ambientes de harmonia. A árvore é tão importante que, segundo a lenda, deu origem ao nome do Monte Argentario, promontório da cidade de Porto Santo Stefano na costa sul da Toscana, devido às sombras de prata (“argento” em italiano) das folhas das oliveiras espalhadas pelo local.

Entre o fim de outubro e o mês de novembro, há um dos eventos mais tradicionais na Toscana: a colheita das azeitonas. Desde grandes empresas a pequenos produtores, o processo contempla as mesmas técnicas manuais de séculos atrás, reunindo famílias, vizinhos e amigos para a mão de obra. Uma colheita tradicional que demonstra a retribuição de afeto e o carinho italiano, resultando sempre em festas alegres e, claro, azeites deliciosos!

As oliveiras também fazem parte da história do Rio Grande do Sul. Os primeiros imigrantes traziam consigo mudas da árvore, dando início ao cultivo e produção para consumo próprio. O estado também possui a maior plantação produtiva do Brasil, um olival com 320 hectares em Pinheiro Machado. Quem visita Gramado ainda pode conhecer mais sobre a produção, a história e os usos das oliveiras no Olivas de Gramado. Localizado em cima de um cânion na Linha Nova, o parque possui uma plantação de mais de 12.000 oliveiras de 6 variedades em uma paisagem incrível. O lugar ainda conta com trilhas, fazenda com mini animais e passeios diferenciados.

O Valle D’incanto, empenhado em preservar a história e cultura dos imigrantes italianos na região serrana, escolheu essa magnífica árvore para presentear os jardins do hotel com beleza, simbolismo e representatividade. Uma hospedagem que permite vivenciar a experiência toscana entre os cenários exuberantes da Serra Gaúcha!